Menu principal
 

Produtores de pitaya realizaram colheita no Sul de Santa Catarina

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Produtores da Associação dos Produtores de Pitaya do Sul (Pitayasul) realizaram a segunda maior colheita da safra 2017/2018, que no total deve produzir cerca de 160 mil quilos de pitaya em aproximadamente 15 hectares. A colheita foi feita entre dias 12 e 16 de abril nos municípios de Santa Rosa do Sul, São João do Sul, Jacinto Machado, Sombrio, Balneário Gaivota, Ermo, Turvo, Timbé do Sul, Forquilha, Araranguá, Meleiro, entre outros do Sul catarinense.

Esta colheita é parte do resultado das ações realizadas pelo Instituto Federal Catarinense (IFC), mais especificamente pelo Campus Santa Rosa do Sul, em conjunto com os agricultores familiares, as entidades, os extensionistas (ATERs) do antigo Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA – e a Cooperativa de Agricultura Familiar e Artesanato (Coopervalesul), em prol do desenvolvimento da pitaya como alternativa de saúde para os consumidores e de renda para os agricultores familiares do Sul catarinense e, consequentemente, para Santa Catarina e Brasil.

“A perspectiva, caso a região continue organizada, é de aumento no consumo e consequentemente de oportunidades para produtores aumentarem sua renda no campo. Por meio de ações de pesquisa e de extensão, o IFC realiza investimentos para estar junto dos agricultores e das entidades, a fim de desenvolver e aprimorar as técnicas de cultivo e comercialização da fruta. Muitos desses produtores participaram de curso de capacitação oferecido no IFC”, explica Éliton Pires, diretor de Extensão no IFC e agricultor autorizado de pitaya.

Além da assessoria técnica agrícola para plantio e produção da fruta, os projetos do IFC contemplam também estudos para o conhecimento e o aperfeiçoamento da gestão financeira da atividade agrícola (custos e investimentos). Atualmente, o Campus Santa Rosa do Sul possui dois projetos aprovados pelo no Edital nº 267/2017, de apoio a projetos de pesquisa e extensão aplicados aos arranjos produtivos, sociais e culturais locais. São eles: “Atmosfera controlada e determinação de causas de ocorrência do ‘Cascão’ em pitaya” – Bruno Pansera Espindola; e “Análise econômica da produção de pitaya na agricultura familiar do Sul de Santa Catarina” – Carlos Antonio Krause.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães | Jornalista
Fotos: Cecom/Reitoria / Edwin Müller