Menu principal
 

IFC solicita pedido de patente

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

IMG_4693-300x200

Reitora do Instituto Federal Catarinense (IFC), Sônia Regina de Souza Fernandes, assinou a autorização do quinto pedido de Patente do IFC, por meio do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) e da Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Propi), no dia 9 de fevereiro. Pedido foi requerido por meio do Protocolo (BR 20 2018 002975 0) ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

Desenvolvida no IFC Campus Concórdia, a invenção é resultado do trabalho de conclusão de curso (TCC) do estudante de Medicina Veterinária Odinei Marques, sob orientação dos professores Amanda D’Avila Verardi e Eduardo Negri Mueller, e do pesquisador externo Jonathan Lamb. Intitulada “Aperfeiçoamento introduzido em comedouro interativo para cães”, a invenção trata-se de uma tecnologia que, por meio de um mecanismo automático, libera uma certa quantidade de alimento ao cachorro em pequenas partes até atingir a quantidade da sua dieta. Acionado por meio da interação do animal com o equipamento, o objetivo do invento é simular uma situação real do animal com o meio ambiente, na qual ele deve se esforçar para ter a retribuição do alimento. Além de se constituir como uma inovação, o comedouro interativo possibilita o exercício, que contribui para a saúde do animal.

“A inovação está presente na missão do IFC, com o novo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), articulada à natureza dos Institutos Federais (IFs). Temos muita produção no IFC, sendo necessária a identificação e o registro destas invenções”, destacou a reitora durante a assinatura.

De acordo com Rafael Paes de Barros, coordenador do NIT, o IFC vem investindo nos pedidos de patentes de tecnologias produzidas em todos os campi. “A proposta é reforçar a importância da propriedade intelectual no IFC, promovendo uma cultura e um cenário propícios à inovação. Por isso, nossa meta é realizar visitas técnicas nos campi para fomentar a inovação e solicitar novas patentes ainda neste ano”, revela Barros.

“A proteção da propriedade intelectual é importante para o Instituto e também para a sociedade. Além de reforçar nossa atividade na aplicação do conhecimento, permite que o setor produtivo absorva a ideia, e, assim, retroalimente todos os setores envolvidos”, acrescentou o diretor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação, Eduardo Augusto Werneck Ribeiro.

Para outras informações sobre registro de patentes, entre em contato com equipe do NIT na Reitoria do IFC pelo nit@ifc.edu.br

 

Texto: Cecom/Reitoria
Rosiane Magalhães | Jornalista / JP 12.715/MG